terça-feira, 10 de maio de 2016

Doçura, paranóia e nerdismo em: Fangirl



Olá pessoas..!
Hoje farei uma resenha de um livro talvez não tão conhecido, mas que amei lê-lo.
Fangirl, por Rainbow Rowell, é um livro que recomendo para toda jovem adulta sentimental, meio nerd/geek que está saindo do ensino médio, indo para a fase adulta.
É exatamente aí que se passa a história.
Cath é a protagonista, super fã de uma série de livros (ao melhor estilo Harry Potter), e que está tentando conciliar seu amor de fandom com sua vida.
A história segue bem simples, que se desenrola devagar, mas de forma a te fazer entender os sentimentos da protagonista, tanto pelo que ela está passando, quanto pelo que ela passou.
Particularmente, achei bem fácil me identificar com Cath. É a típica mega fã de um fandom, cheia de sentimentos reais. Certamente ela é um tanto mais paranóica que uma pessoa “normal”. Apesar dos ocasionais xingamentos pelo suposto exagero da protagonista, achei justo, tanto para a história desenrolar, como para construir melhor a personalidade da mesma. Cath é muito tímida, e neste momento, se vê totalmente fora de sua zona de conforto. É normal se sentir desencaixado.
O livro possui também outros personagens, e facilmente mais apaixonantes, mas não tiram o brilho da protagonista, pelo contrário, auxilia o desenrolar e desenvolvimento da mesma. É simplesmente impossível não se apaixonar por Levi. A forma com que ele é descrito, e age, são o toque de doçura da história. E apesar de ser carismático, ele não perde o ar de mistério, que te prende e intriga para prosseguir.


Quote fofo entre Cath e Levi <3


Certos momentos você pode ter muita raiva, pelas paranóias de Cath, e ações de personagens secundários, mas nada tira a leitura fluída e gostosa.
Dou o ponto positivo para o desenvolvimento da personagem, principalmente no quesito do amadurecimento dela. É um fator interessante, por ser algo real. Algo que pode acontecer, ou pode estar acontecendo com o leitor(a), deixando parecer próximo da realidade. Cath poderia ser aquela sua colega de sala quietinha, que fica no cantinho, de tão próximo dos sentimentos de um jovem adulto que é.
Perfeitamente apropriado para os jovens que estão na transição entre o final da adolescência para o jovem adulto, inexperiente, e cheio de anseios quanto ao amadurecimento, e sobre o que é realmente viver.

See ya ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário