sexta-feira, 27 de maio de 2016

Demônios não são demônios



Assim como demais membros deste blog e da Opsi, eu aprecio o ocultismo e o oculto. Porém eu não sou um ocultista nem quero ser. Eu gosto de estudar esses assuntos com uma mente Parapsicóloga. E como Parapsicólogo amador (ou apenas fã de parapsicologia), embora eu não aceite o que a superstição conta sobre as criaturas do submundo eu não nego a existência delas. E eu realmente aprecio quando mídias que eu acompanho fazem interpretações menos supersticiosas sobre monstros, demônios, fantasmas e etc (Ghostbusters que o diga). Dentre esses, acho que nenhum é mais "demonizado" do que o próprio demônio. Ele sempre foi o símbolo do desconhecido e do mal, geralmente ligado a cultura cristã e ao Satanás. Uma criatura que existe apenas para distorcer, destruir e enganar. E se demônios fossem apenas uma espécie do planeta, como todos os outros seres vivos? Com esse pensamento em mente trago aqui duas versões de demônio que aprecio.
O primeiro está em Demon's Crest, um jogo do Super Nintendo sobre um mundo onde a humanidade foi destruída e os demônios dominaram. Os demônios tem a mesma aparência usual, porém apresentam as mesmas atitudes e inteligência que humanos. Não são apenas um monte de bicho feio urrando. Tanto que alguns deles passam a colecionar e estudar o que os humanos deixaram para trás.



O Segundo é Devilman de Go Nagai, um mangá também sobre a batalha entre humanos e demônios. Nessa história, os demônios, que viviam na Terra antes dos humanos, foram congelados durante a Era do Gelo. Por causa de tal congelamento, a única forma deles se conectarem com o mundo é invadindo a mente fraca de algumas pessoas, ou seja possuir elas. Um cientista descobriu isso analisando o fóssil de um desses demônios. Basicamente, demônios são como os dinossauros, uma espécie antiga e não exatamente espíritos malígnos.

Além disso, a história critica o significado de um demônio, quando durante a invasão algumas pessoas ficam tão dominadas pelo medo que cometem atrocidades umas com as outras, levando o protagonista a questionar quem é o verdadeiro demônio.


Eu não tenho um repertório enorme de filmes/animações/livros de demônio e eu sei que essas duas não são as únicas interpretações de demônios que existem, mas são as que mais chamaram minha atenção, particularmente o devilman que é um dos meus mangás favoritos. É isso galero, semana que vem eu escrevo uma breve análise sobre... alguma coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário