quarta-feira, 27 de abril de 2016

Ip Man: O Grande Mestre



O filme conta a história de Yip Kai-Man, mestre do estilo Wing Chun/Ving Tsun de Kung Fu, mais conhecido como o mentor de Bruce Lee. Este filme conta vida do mestre pouco antes do estouro da Segunda Guerra e durante. Embora seja uma biografia, o filme também funciona como um bom filme de ação kung fu, então você acaba recebendo dois filmes bons pelo preço de um.
Eu não sou um grande fã de filmes biográficos pois geralmente eles apresentam aquela pessoa com foco em apenas parte da personalidade dela e não em um todo. É difícil interpretar alguém, ainda mais quando é alguém importante ou com uma personalidade forte, mas boa parte do tempo o protagonista (no caso a pessoa retratada no filme) é transformado em uma de suas características. Dois exemplos que posso citar são "Ray" e "Forrest Gump", dois filmes biografias que eu gosto mas possuem formas diferentes de abordarem a pessoa representada. Em Ray, particularmente do começo do filme até o meio, Ray é tratado como um coitado, diversas vezes mostrando flashbacks de sua infância sofrida. Em Forrest Gump, cada acontecimento ocorre em uma cena específica e forte o suficiente para manter seu significado na cabeça do espectador. Forrest não é retratado como um coitado ou retardado mental, nem como algum tipo de herói. Ele é apenas uma pessoa rodeada por acontecimentos espetaculares, que eventualmente o tornaram em alguém espetacular. Seu problemas são circunstâncias que o circulam ao invés de características que o definem. Imagina se durante o filme sempre houvesse algum flashback sobre a infância sofrida dele ou do que ele viu durante a guerra? Seria forçado. Os fatos por si só já demonstram se é uma memória ruim ou triste, uma vez mostrada o público é capaz de compreender o que aconteceu e como isso afeta o personagem. Mostrar mil vezes não vai mudar nada.
Ip Man, no filme, não é transformado em um herói. Existem momentos heroicos mostrados no filme, particularmente quando sua família vai a falência e ele luta contra os japoneses durante a guerra, porém ele não deixa de ser um ser humano. Tanto que no começo do filme alguns problemas que ele tem com a família são mostrados, e isso segue até o fim do filme quando a esposa de Ip o perdoa, não porque o que ele fez não afetasse a relação, sim porque numa situação tão devastadora (Afinal, Guerra), não era o momento de se importar com tais conflitos. Ele não é endeusado nem demonizado. É apenas um homem como qualquer um fazendo o que acredita ser certo pelo bem de seu país e de sua família. Existem uma ou outra inconsistência nos filmes seguintes em comparação com os verdadeiros acontecimentos, entretanto isso não afeta a qualidade do longa metragem. Biografia ou não, um filme deve se sustentar por si só não em quão baseado é em algo.
Em resumo Ip Man é um bom filme tanto para quem aprecia biografias quanto para quem apenas quer um filme de ação com lutas decentes. As lutas no filme são ótimas e só melhoram a cada sequência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário